Mastoplastia de Reconstrução

​Para a mulher, a mama é um órgão carregado de simbologia afetiva. O medo da perda deste símbolo pela mastectomia, projeta a fantasia de outras perdas como: a feminilidade, a identidade feminina, a sexualidade; elementos fundamentais para o bem estar psicológico da mulher.

A reconstrução mamária é um procedimento cirúrgico que devolve o volume, para a mulher submetida à mastectomia. Quando necessário, o procedimento é complementado pela reconstrução da aréola.

Duração:

Normalmente 1 a 2 horas. Devido a microcirurgia necessária para a ligação de veias, as cirurgias autólogas podem demorar mais.

​Pós-operatório:

O paciente pode apresentar perda de sensibilidade normal, embora alguma sensibilidade possa retornar. A paciente levará uma média de 6 semanas para se recuperar de uma mastectomia e reconstrução combinadas, ou de uma reconstrução autóloga. A maioria das cicatrizes desaparece com o tempo, mas demoram alguns anos para suavizar.

Riscos:

Sangramento, coleta de fluido, cicatriz excessiva, infecção e problemas com anestesia. Os implantes podem mudar ou vazar, exigindo remoção. Usar um implante tem um risco remoto de infecção ou contratura capsular, uma condição que deixa o implante e os seios enrijecidos. A contratura capsular pode ser tratada com outra cirurgia para remover a cápsula formada, inserindo uma nova prótese. Assim, como em qualquer outra cirurgia que utilize retalhos, a revascularização do tecido microcirúrgico pode ficar comprometida acarretando perda do mesmo.

​Técnica Utilizada:

Novas tecnologias e técnicas fizeram com que seja possível aos cirurgiões recriarem mamas que parecem bem naturais. O tecido do próprio paciente é usado em várias operações, conhecidas como TRAM, DIE e EARLI. A reconstrução dos seios normalmente é feita assim que o seio é removido (mastectomia), enquanto a paciente ainda está sob anestesia.

​Anestesia:

Geral.

Inscreva-se!

Inscreva-se!

Cadastrado com sucesso!