Ginecomastia

Ginecomastia é a presença de mamas com características femininas no homem. A causa pode ser genética, alteração hormonal ou maior sensibilidade da glândula mamária ao hormônio feminino (sem haver alteração hormonal). Ela pode ter um aumento tanto da glândula, quanto da gordura em volta da glândula ou ambos simultaneamente. O problema também pode ser ocasionado pelo uso excessivo de álcool e drogas.

Além do tamanho aumentado, a ginecomastia também pode ser caracterizada por mamas masculinas assimétricas. A cirurgia de correção pode, portanto, ser feita em apenas uma mama ou nas duas. A cirurgia pode ser feita a partir dos 18 anos, quando o desenvolvimento das mamas masculinas já está completo. Porém, pode ser realizada em crianças, nas quais sejam detectados grandes complexos que prejudiquem seu desenvolvimento psicossocial e afetivo.

​Duração:

Variável, acima de 1 hora.

​Pós-operatório:

Os pacientes podem apresentar equimose, sentir dor, inchaço ou dormência temporárias na região.

​Riscos:

Infecção, acúmulo de fluídos, equimose, pele enrugada ou em excesso, e assimetria. Mudança da pigmentação (possivelmente permanente se exposta ao sol). Cicatrização hipertrófica se o tecido for cortado, o que gera a necessidade de um procedimento posterior para a remoção de tecido adicional.

​Técnica Utilizada:

Uma incisão é feita na aréola, a área escura que circunda o mamilo, ou nas axilas. O tecido adiposo e glandular é removido para criar um peito mais reto e firme, contribuindo para um contorno mais masculino. Lipoaspiração pode ser realizada em conjunto com a redução de mama masculina.

​Anestesia:

Local com sedação, geral ou Peridural.

Inscreva-se!

Inscreva-se!

Cadastrado com sucesso!